Moradores do Ambrósio recebem mais uma etapa do ‘Comunidade Restaurativa’

 Moradores do Ambrósio recebem mais uma etapa do ‘Comunidade Restaurativa’
No último sábado (08), moradores da comunidade do Ambrósio, localizada na área portuária de Santana, puderam participar da quarta ação do projeto “Comunidade Restaurativa”, realizado pelo Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas do Ministério Público do Amapá (MP-AP) em parceria com o Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP). 

As idealizadoras do projeto, promotora de Justiça Silva Canela (coordenadora do Núcleo de Práticas Restaurativas do MP-AP) e a juíza Carline Nunes (Juizado Especial Cível e Criminal de Santana), fizeram a entrega de 200 latas de tintas, de 18L e 3,6L doadas pela HIDRACOR, em parceria com a loja Maranata, beneficiando cerca de 50 casas, dando sequência a uma das ações do projeto, de revitalização da área, chamado “Arte na Comunidade”. 

Na ocasião, aproveitaram para promover uma reunião, em forma de círculo de diálogo, com a participação de moradores e do secretário municipal de obras de Santana, para discutir os problemas do local. 

“É necessário que haja união entre os moradores para melhorar a qualidade de vida de todos que vivem aqui. Sabemos que as condições são difíceis, mas, se estivermos juntos, podemos avançar. Com o tempo eles vão perceber que não precisam de ‘Salvadores da Pátria’, desde que consigamos desenvolver a autonomia da própria comunidade”, disse a promotora Silvia Canela. 

Benedito Barreto Sá, presidente da Associação Comunitária da área Portuária de Santana, falou que o projeto resgatou a confiança entre os moradores, que hoje já entram no local com mais facilidade. 

“Pois, no passado, o índice de criminalidade assustava muito”, disse. 
O tempo chuvoso impediu a pintura das casas, mas, durante a semana, a atividade deverá ocorrer, com apoio de voluntários do projeto. Atividades de educação em saúde bucal e práticas lúdicas junto às crianças, promovidas pelo Sesi, também foram realizadas. 

“Esse trabalho envolve diversas entidades que sempre nos apoiaram na implantação do projeto Comunidade Restaurativa. O Ambrósio foi dividido em setores para que entre outros atendimentos, possa receber tintas para pintar as casas por meio do projeto Arte na Comunidade. Para isso, o morador tem que participar de uma oficina que ocorre nas quartas-feiras na própria localidade onde são realizados círculos entre essas pessoas”, explicou a juíza Carline. 

A primeira ação deste ano mobilizou dezenas de voluntários, interessados em contribuir nas mais diversas atividades que, além da pintura das casas, envolve educação ambiental, capacitação dos moradores e utilização de técnicas restaurativas, tudo com o objetivo de despertar o senso de pertencimento entre os moradores do local. 

“Essa ação tem se desenvolvido com espírito de solidariedade e colaboração. Estamos ultrapassando o nível da instituição e nos unimos para criar um objetivo comum que é contribuir para construir um mundo melhor. E isso só tem sido feito através dessa união”, finalizou a promotora de Justiça Sílvia Canela.
Comentar no Facebook !

Notícias Relacionadas