Cerca de 4 mil casas com médio risco para dengue são visitadas em ação de combate, em Macapá

Trabalho desta quinta-feira (18) ocorreu em regiões onde infestação do Aedes aegypti pode ser maior, segundo o último LIRAa.

0 517

Buscando combater a proliferação da dengue em Macapá, um grupo de 80 agentes de endemias iniciou visitas a pelo menos 4 mil casas nos bairros Laguinho e Alvorada, e no distrito da Fazendinha, na manhã desta quinta-feira (18). Os moradores recebem orientações e, se forem encontrados focos, os agentes já fazem a eliminação dos criadouros do Aedes aegypti.

A ação é um desdobramento do último Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), feito entre os dias 1 a 9 de julho, que indicou os três locais com médio risco de infestação do mosquito.

A equipe fez a busca, eliminação e tratamento de criadouros, além da orientação de educação em saúde para os moradores. A casa da aposentada Izabel Amanajás, de 61 anos, foi uma das visitadas.

“É um trabalho importantíssimo porque protege a gente. Às vezes tem coisas que acumulam água e a gente não sabe e nem se incomoda e, quando vai ver, pegamos dengue. Recebendo essas orientações de como combater o mosquito e deixar o quintal limpinho nos faz ficar mais alerta”, disse Izabel.

Izabel Amanajás recebe orientação de agente de endemias — Foto: Victor Vidigal/G1

Izabel Amanajás recebe orientação de agente de endemias — Foto: Victor Vidigal/G1

Mesmo com o cuidado de alguns, Kilder Vidal, coordenador municipal de controle do Aedes aegypti em Macapá, lembra que o lixo doméstico continua sendo o problema mais observado durante as inspeções.

“A nossa dificuldade são muitos terrenos baldios. Lá pode estar um reservatório de água, um lixo doméstico que apareceu como principal vilão novamente com 55,7% dos imóveis com esse tipo de criadouros”, alertou Vidal.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh) acompanhou a ação, notificando proprietários de terrenos baldios. Denúncias relacionadas podem ser feitas por meio do número (96) 99121-1641.

A inspeção em residências dos três bairros acontece durante cinco dias. Posteriormente, três novos bairros serão selecionados para mais cinco dias de inspeção. O esquema continua desta forma até o início de setembro, quando ocorre um novo LIRAa, informou Vidal.

Agente de endemia observa possível criadouro do Aedes aegypti — Foto: Victor Vidigal/G1

Agente de endemia observa possível criadouro do Aedes aegypti — Foto: Victor Vidigal/G1

Com informações do G1-AP

Comentários
Carregando...